El Espartano
História do Carpete

História do Carpete


A tradição de Wilton
Faz quase três séculos que no Reino Unido se fabricam tapetes. Esta tradição têxtil surgiu em Wilton, um pequeno povoado de Wiltshire, no sudoeste da Inglaterra. A poucos quilômetros de Stonehenge, o famoso monumento megalítico da Idade de Bronze, se estabeleceu em 1720 a primeira fábrica de tapetes do mundo.
Nos primeiros tempos, a composição daqueles produtos se caracterizou por ser de bouclê de baixa altura −conhecido como “tapeçaria de Bruxelas”−, ainda que posteriormente, a equipe de Wilton conseguiu desenvolver um tipo de tapete de pelo curto que foi batizada com o nome do povoado, respeitando a denominação de origem.
Essa nova “tecelagem Wilton” foi reproduzida por outras fábricas da cidade de Kidderminster e mais tarde, pelo resto do país.

Os tapetes Axminster
Em 1755, Thomas Whitty abriu uma fábrica na cidade de Axminster em Devon, na qual começaram a produzir tapetes manualmente e depois em forma mecânica, graças aos avanços que promoveu a Revolução Industrial. Desta maneira, começava a ser comercializado o tapete Axminster, que se posicionou entre a classe alta como sinônimo de uma tapeçaria de alta qualidade.

Ambos os tipos de tecido eram manufaturados em fábricas que estavam espalhadas por toda a Inglaterra e que respondiam à demanda local e internacional.


Os Tufting nortamericanos
No começo do século XX, um método completamente novo de produção de tapetes, conhecido como Tufting, foi implementado nos Estados Unidos. Este sistema consistia em tomar como base una manta pré-tecida tecida à qual se inseriam tufs (tufos) mediante uma agulha. Paulatinamente, foi sendo desenvolvido e aperfeiçoado.
As novas tecnologias permitiram enormes progressos na manufatura de fios sintéticos e na construção de máquinas de tecelagem modernas que permitem a manufatura de todo tipo de tapete com texturas, designs e cores que realçam toda classe de ambientes.

Tapetes modulares
Na década de sessenta desenvolveu-se um novo tipo de revestimento que podia ser instalado em ambientes comerciais como escritórios corporativos, e que permitia uma maior facilidade de traslado e instalação. Este novo sistema foi o início dos tapetes modulares, os quais são fabricados em rolo e depois vincados em módulos que geralmente têm 60 cm x 60 cm.
Os tapetes modulares têm respondido a uma necessidade moderna que possuem os edifícios corporativos: pisos elevados que permitam instalar cabos nas redes que se conectam a todos os seus terminais. Por isso, esse tipo de tapetes individuais se posiciona como a solução mais rápida e acessível na hora de ter acesso aos cabos sem gerar alterações no funcionamento laboral.

image_pdfimage_print
i
  • Subscribite a nuestro Newsletter:

  • © 2013 El Espartano. All Rights Reserved. Designed with joy by DHNN (design has no name)